Vinte e um minutos que garantem uma equipe de verdade em um mundo fake

Identificar o que é verdadeiro e o que é fake é um grande desafio, não somente em relação aos meios de comunicação – com as famosas fake news – mas também no mundo corporativo, no qual multiplicam-se profissionais fake: recepcionistas que não recebem, vendedores que não vendem, atendentes que não atendem (ou atendem mal), líderes de equipe que não lideram.

Em qualquer área, encontramos profissionais despreparados. Na área comercial, uma das áreas fundamentais de qualquer empresa, isso pode representar a diferença entre sobreviver ou não em um mercado cada vez mais competitivo e exigente. Por isso, além de recrutar e selecionar profissionais que atendam as expectativas das organizações às quais estão associados, é importante investir na formação continuada, na motivação e no reconhecimento desses profissionais.

Desenvolvi um método que chamo de “educação corporativa de alto impacto”. Trata-se de um método simples, quase sem custos e de resultados imediatos. Um dos pilares desse método – e ponto central deste artigo – é exatamente o foco em pequenos treinamentos diários (ou semanais), que podem ser aplicados em empresas de qualquer porte e que garantem conhecimento, motivação e reconhecimento profissional. Tudo isso pode ser feito em aproximadamente 21 minutos.

Os primeiros cinco minutos são dedicados a ações de reconhecimento e a depoimentos dos destaques de vendas. Assim, toda a equipe toma conhecimento diariamente (e não apenas uma vez por mês na entrega de prêmios) sobre o que os campeões têm feito para gerar resultados concretos quase que em tempo real, ou seja, uma técnica ou estratégia que foi utilizada hoje, amanhã já será compartilhada com todos. É importante observar que esse tempo deve ser dedicado ao valor ou número de vendas do dia ou semana anterior, ao compartilhamento de técnicas e experiências de sucesso. É hora de focar no que está dando certo de verdade. Outras questões, como queixas e reclamações, deverão ser tratadas em reuniões específicas em outro momento.

Os próximos 15 minutos, conduzidos pelo gerente, supervisor ou treinador do dia, são dedicados a ensinar ou recapitular conteúdos, técnicas e ensinamentos relacionados à atividade dos participantes. Esse conteúdo pode ser bem diverso, como técnica de abordagem, neutralização de objeções, fechamento, pós-venda etc. O ideal é que as demandas sejam criadas a partir dos pontos fracos da equipe.

O último minuto é reservado para um grito de guerra da equipe, mensagem motivacional, vídeo, música ou até mesmo uma oração. Desde que seja algo que ajude a finalizar o encontro com um clima positivo.

É importante criar e estimular o hábito de reunir a equipe para estudar e explorar conhecimentos úteis e aplicáveis. Muitas empresas investem, por exemplo, em viagens para o aprimoramento de seus profissionais e quando estes voltam, não conseguem transmitir para os colegas, de forma adequada, o que aprenderam. Quando muito, fazem um relato da viagem e das palestras assistidas.

Com pequenos encontros regulares, fica muito mais fácil compartilhar o que foi aprendido com consistência e clareza, atingindo um número maior de pessoas e respeitando o ritmo e os horários da empresa. Um método compacto, de alto impacto e ao alcance de todos.

Escrito pelo Palestrante Márcio Manso em Jornal do Comércio

0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.