ecommerce

Vale colocar preço do produto ou serviço em posts no Facebook e Instagram?

Colocar ou não colocar preço ao divulgar seu produto ou serviço nas redes sociais, como Facebook e Instagram? Esse pode ser um dilema do empreendedor que que vender por meio das redes sociais.

De acordo com Altair Camargo, co-fundador da Sempreende, escola de empreendedorismo de Goiânia (GO), não há uma resposta simples e direta, pois isso depende de fatores como tipo de produto e disponibilidade para conversar com seus eventuais clientes na rede social.

Veja 4 motivos para colocar os preços

1) É um produto que seus seguidores já conhecem: Se seus seguidores já compraram de você ou, pelo menos, estão interessados e acompanham aquilo que sua empresa vende, eles conhecem a qualidade do seu produto. Portanto, colocar o preço pode ser atraente para sua clientela e também para aqueles que nunca compraram de você, mas já conhecem o produto ou serviço de empresas concorrentes.

2) Chamar a atenção porque seu preço está muito baixo: As pessoas adoram promoções e preços baixos. Se o preço for um diferencial do seu produto ou serviço, divulgue o valor. Mas ressalte outras características positivas para evitar ser visto pelo cliente como de baixa qualidade.

3) Demonstrar qualidade a partir do preço: Se seu produto for premium e você quiser mostrar que há benefícios além de sua utilidade, vale a pena colocar o preço. O valor elevado pode atrair justamente esse público que deseja mostrar alto poder aquisitivo.

4) Não ter tempo de responder o grande volume de mensagens sobre preços: Se não for possível destinar alguma pessoa para essa função, pode ser mais prático colocar no post as principais dúvidas dos clientes, como preços, tamanhos disponíveis, tempo de entrega e formas de pagamento.

Veja 4 motivos para NÃO colocar os preços

1) Para despertar o interesse do cliente: Evite colocar preços quando um produto vale muito mais do que aquilo que é transmitido na foto, como, por exemplo, um vestido desenhado por um estilista famoso. Neste caso, o produto sem preço pode despertar mais interesse do consumidor.

2) Oferecer serviços com preços muito variados: Alguns serviços têm preços que variam conforme a personalização feita para cada cliente, como, por exemplo, a montagem da decoração de uma festa ou um projeto de arquitetura. O preço, nestes casos, pode estar muito distante do que efetivamente será cobrado. O aconselhável é mostrar na foto indícios de quanto custa o serviço, como colocar o produto inserido em lugares sofisticados.

3) Ter outras opções de produtos além daqueles que estão no post: Imagine uma empresa que vende colchão e posta um muito específico e com preço alto (o cliente pode nem entrar em contato) ou um muito barato (o cliente pode achar que a empresa só vende produtos de baixa qualidade). Nesse caso, o melhor é apenas informar que sua empresa vende colchão e deixar que o cliente entre em contato, para que o vendedor, depois de entender as suas necessidades, indique a melhor opção para ele.

4) Não é permitido pelo fornecedor: Isso pode acontecer por alguns motivos: para evitar que o cliente não veja diferença de preço entre a loja física e a online ou para que não faça comparação de preço junto aos concorrentes. Portanto, é aconselhável seguir as regras do fornecedor e informar os clientes interessados somente por mensagens particulares.

Escrito por Cláudia Varella no UOL

0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.